Guilherme Muller é vice na Argentina

Representante da Sense Factory Racing foi vice campeão do Abierto Across Internacional

Ricardo Pscheidt vence prova em SC

Guilherme Muller logo após a prova: . Nunca antes na minha carreira eu havia competido com um tempo tão gelado como foi aqui. A chuva que caiu, deixou o circuito com muito barro e bastante liso"

São Paulo (SP) - Os atletas do Shimano Sports Team desempenharam um bom papel na primeira grande prova do ano na América do Sul valendo pontos no ranking mundial de mountain bike, o Abierto Across Internacional, em Salsipuedes, na Argentina. Guilherme Muller (Sense Factory Racing) foi quem obteve o melhor resultado entre cinco representantes da marca japonesa na corrida, com o vice-campeonato na elite masculina, atrás apenas de Luiz Cocuzzi.

"Foi um ótimo início de temporada para mim. O clima aqui em Salsipuedes, na região de Córdoba, surpreendeu todo mundo. A temperatura baixou drasticamente e fez muito frio. Nunca antes na minha carreira eu havia competido com um tempo tão gelado como foi aqui. A chuva que caiu, deixou o circuito com muito barro e bastante liso", destacou Guilherme Muller.

"Consegui me posicionar bem e liderei após a largada, mas na segunda volta fui revezando com o atleta que seria campeão, após trocarmos alguns ataques nas últimas voltas. A meta era um top 5 e consegui ser segundo colocado, o que me deixa bastante feliz. Foi uma viagem bem produtiva e posso ver que 2018 iniciou no caminho certo. Agora é seguir trabalhando e já pensar nas próximas corridas" completou Guilherme, que tem sua bike equipada com os componentes XTR Di2 de transmissão de marchas eletrônica da Shimano. 

Ainda na elite masculina, Lukas Kaufmann e Sherman Trezza, ambos da Cannondale Brasil Racing, subiram no pódio, com o quinto e o nono lugares, respectivamente. Já Rubinho Valeriano (Sense Factory Racing), estava bem na prova, quando ocupava a terceira posição, mas, perdeu as chances de brigar pela vitória com uma pneu furado na terceira volta.

"Apesar de não conseguir pedalar no meu 100%, devido às condições climáticas extremas, com temperaturas baixas, vento gelado e forte e chuva, fiz uma prova muito redonda com boa pilotagem. Fiz um sólido quinto lugar, colocação muito boa pra começar a temporada somando pontos UCI e uma sensação de querer mais", disse o suíço Lukas Kaufmann.

Entre as mulheres, Viviane Favery (Cannondal Brasil Racing) foi a oitava colocada, na prova vencida pela mexicana Daniela Campuzano, campeã pan-americana de 2016. "Foi uma prova super dura. Aqueci bem, mas com a mudança do tempo e a chuva na largada, acabei não iniciando bem. Essa primeira corrida do ano serviu para me acordar e mostrar como o mountain bike realmente é. Larguei mal e tive que buscar posições em seguida, agora temos trabalho pela frente, para trabalhar os pontos fracos nos treinos, visando as próximas competições", contou Viviane Favery. 

Desafio Pôr do Sol - O Desafio Pôr do Sol de Mountain Bike, em Timbó (SC), marcou a volta do ciclista Ricardo Pscheidt (Trek/Shimano/Giro29) às pistas após quase três meses sem competir, recuperando-se de uma lesão na clavícula, sofrida durante a ultramaratona Brasil Ride 2017. Pscheidt foi o campeão, após pedalar 48,8 km na categoria pro e superar mais de 1.300 m de altimetria acumulada, na prova realizada no início da noite de sábado (10). 

"Senti bastante o ritmo no início da prova, mas depois consegui me encaixar e na metade do circuito, em uma longa descida, abri uma pequena vantagem a qual sustentei até a chegada. Muio feliz com a vitória. Agora, vamos dar continuidade aos treinos porque a temporada só está começando", comemorou Pscheidt, que assim como Guilherme Muller também tem sua bike equipada com o grupo Shimano XTR Di2.