João Clarindo também pedala

Bate-papo em sua visita ao escritório da Shimano

WhatsApp Image 2018-02-02 at 17.10.38.jpeg

João Clarindo está com 14 anos e é um rapaz alto para sua idade. Quando chegou ao escritório da Shimano essa semana, foi difícil não enxergar nele um pouco do seu pai, Claudio Clarindo. Deu um nó na garganta. O rapaz tomou gosto pelo ciclismo e de cara, em sua primeira incursão na estrada, pedalou 100 KM, junto com um grupo de ciclistas que homenageava seu pai.

Aproveitamos essa visita para conversar com esse rapaz de olhos claros, sorriso tímido, mas que traz a mesma coerência e determinação que marcavam a personalidade do Clarindo. Torcemos para que o João não só se apaixone pelo ciclismo, mas que se divirta praticando o esporte que seu pai tanto promoveu.

 

SHIMANO: João, você teve recentemente sua primeira experiência pedalando na estrada, e de cara foi uma distância de um treino longo, 100km. Você já estava pedalando, treinando?

- Bom foi meu primeiro pedal na estrada com uma bike adequada, uma longa distância. Treinar mesmo, pedalar era só no meu dia a dia, na bike urbana para me locomover pela cidade. Pedalar às 5 horas da manhã, com um grupo de ciclistas, foi demais, uma experiência inesquecível.

SHIMANO: Você diria que foi mordido também pelo bichinho da bike, como a gente costuma dizer? Quais seus próximos planos com a bike?

-  Sim demais. O ciclismo me motiva cada dia mais. Assisto vídeos de ciclismo e acompanho os melhores ciclistas do mundo. E pretendo, se tudo der certo, pretendo começar a treinar mais sério agora em fevereiro. E espero, se tudo der certo, começar a trazer bons resultados.

SHIMANO: Você comentou que nesse momento não pensa em Endurance, que era a modalidade do seu pai. Você pensa em competir provas curtas?

- Sim, prefiro focar agora em velocidade e percursos menores.

SHIMANO: E o que você aprendeu com o Clarindo e que acredita que está te ajudando e vai ajudar ainda mais no ciclismo?

- Muitas pessoas acham que por conta do acidente, dos acontecimentos, isso criaria uma barreira entre o filho do Clarindo e o ciclismo. Mas, não sei o que aconteceu, mas isso me motivou cada vez mais a entender como é que funciona o ciclismo. Penso nele todo dia: no que ele me falava, no lema dele de “insistir, persistir e nunca desistir”. É uma frase que anda comigo dia a dia, em todos os momentos.

SHIMANO: Sobre a RAAM 2015, 5ª e histórica participação do Clarindo, qual sua sensação de ter participado daquela prova?

- Foi sensacional. Hoje em dia pego os filmes, vídeos da RAAM, momentos que a gente passou que eu nem me lembrava. É tão legal ver o filme, lembrar de momentos tão difíceis que você passou dentro de uma prova tão difícil. Às vezes, dentro do Motorhome, eu olhava para frente e tinha um cara lá lutando para pedalar 5 mil quilômetros! Teve diversos e diversos acontecimentos dentro da prova que tornou tudo mais legal mais familiar.

SHIMANO: O Clarindo comentou comigo que essa RAAM 2015 foi realmente difícil e que o fato de você estar lá, deu uma força a mais para ele. Foi muito importante para ele conseguir concluir a prova.

- No final da prova, eu estava sentado perto dele e vi ele gravar o final do documentário (Black Bull – de Costa à Costa, do Gabriel Rodrigues), e ele disse: “filho, essa foi a última, foi pra você. Você já tem a sua RAAM!”. E isso me emocionou, me emociona até hoje, me tocou muito essa frase. Saber que um cara pedalou 5 mil KM e fez o impossível para me deixar feliz, para me deixar um legado, e eu tenho certeza que esse legado ficou. Ele é lembrado até hoje.

SHIMANO: João, estamos muito felizes de estar com você aqui, esperamos que esse grupo Sora, que a Shimano está te oferecendo, te ajude nesse seu início no ciclismo.

- Legal, eu agradeço muito, muito mesmo. A Shimano é um exemplo de marca, de família. Agradeço ao Rogério, o Mateus e a todos do Team Shimano. 

WhatsApp Image 2018-02-02 at 17.11.02.jpeg