Shimano Sports Team domina a Taça Brasil

Avancini leva o titulo e Guilherme Muller é vice!

Lucas Borba fatura o DH em Ibirama e Reinaldo Colucci é vide no Triathlon Internacional de Santos

331942_769099_pA_dio_sup_eli_mas___taA_a_brasil_xco_web_.jpg

São Paulo (SP) - Os atletas do Shimano Sports Team fizeram bonito na abertura da Taça Brasil de XCO, em Campo Largo (PR). Entre os dez ciclistas no pódio da super elite masculina, nove eram representantes da marca, com destaques para o vencedor Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) e Guilherme Mulller (Sense Factory Racing), vice-campeão. Rubinho Valeriano (Sense Factory Racing) e Sherman Trezza (Cannondale Brasil Racing) ficaram em quarto e quinto lugares, respectivamente. A terceira colocação foi de Luiz Cocuzzi.

"Conquistei minha primeira vitória do ano, na Taça Brasil de XCO, prova classificada como C2 na UCI (União Ciclística Internacional), o que me garantiu mais 30 pontos no ranking mundial", enalteceu Henrique Avancini, número 5 do mundo. "Ainda tenho que melhorar algumas coisas, mas estou em um bom caminho em física, técnica e mentalmente", completou o atleta, natural de Petrópolis, na região Serrana do Rio de Janeiro.

Da sexta até a décima posição, todos os postos foram completados por atletas Shimano. Lukas Kaufmann (Cannondale Racing Brasil) foi o sexto, enquanto Edson Rezende (Caloi Avancini Team) terminou em sétimo, além de vencer a sub-23, seguido de Mario Couto (Sense Factory Racing), oitavo colocado e vice-campeão sub-23. Kennedi Lago (Team Oggi/Isapa), em nono, e Ricardo Pscheidt (Trek/Shimano), em décimo, completaram o top 10. Enquanto Wolfgang Olsen (Caloi Avancini Team) foi o 13º na elite, seu companheiro de equipe Pedro Lage ficou em sétimo na sub-23.

"Eu me senti muito bem durante a prova e saí de Campo Largo bastante feliz com a segunda colocação. Sofri um tombo no sábado (24) e meu pulso ficou bem dolorido, o que me deixou preocupado para a corrida. Mesmo assim, larguei consciente para sentir como estaria a dor e tive ótimo rendimento. O circuito paranaense me agrada, um local em que geralmente desempenho bem, tendo inclusive sido o campeão lá em 2017", contou Guilherme, ciclista que tem sua bike equipada com o grupo Shimano XTR Di2 de transmissão de marchas eletrônica.

Quem também comemorou o resultado foi Edson Rezende, após vencer a sub-23. "Muito feliz em poder abrir o calendário de provas nesta temporada com uma vitória. Fico mais contente ainda pela minha forma física apresentada durante a prova. Aproveito ainda para agradecer meus patrocinadores, como a Shimano, além de minha equipe, Caloi Avancini Team, por toda a estrutura que tivemos no Paraná. Agradeço também aos familiares e aos amigos que estiveram na torcida", destacou Edson.

Sul Brasileiro de Downhill - Ibirama (SC) recebeu neste fim de semana o Campeonato Sul Brasileiro de Downhill (DH), válido ainda como abertura do circuito estadual de DH. Lucas Borba, que também fez parte da organização, confirmou seu favoritismo e levou o título da competição. "O público foi a loucura aqui em Ibirama. Estimamos que havia mais de 1.000 pessoas acompanhando as descidas finais. Eu nunca tinha visto o morro da corrida tão cheio. É difícil organizar e correr, porque a gente quer que tudo ocorra perfeitamente. Assim, posso dizer que o evento foi sensacional, todo mundo elogiou e fiquei feliz, não só pelo meu resultado, mas pela prova em si. A Shimano esteve presente com bonés e as fitas de demarcação, então foi bem legal", contou Luquinha.

Triathlon Internacional de Santos - O triatleta Reinaldo Colucci (Sesi/Shimano) foi vice-campeão da 27ª edição do Triathlon Internacional de Santos, realizado na Praia do Boqueirão, após nadar 1,5 km, pedalar 40 km e correr outros 10 km. "Saí da água no grupo principal, com uma distância não tão grande do campeão, o Marcus Fernandes. Nos primeiros 20 km da bike, forcei e tentei alcançá-lo. Porém, na segunda metade ele apertou o ritmo. Na etapa de corrida, ele estava com uma boa vantagem, tentei forçar, mas a vantagem do líder era muito boa e a vitória ficou difícil", avaliou Colucci.